ENTREVISTA COM TÚLIO SILVEIRA

Nossa equipe está buscando fontes e fazendo entrevistas com figuras marcantes do universo musical de Alvinópolis. Em cada geração destaca-se um compositor, outrora entrevistamos Marcos Martino, um grande compositor alvinopolense, esta é a vez de Thulio Silveira.

Thulio é músico, e um reconhecido compositor de sua geração. Dentre as suas principais contribuições para a música alvinopolense destaca-se a fundação da banda de rock “Fator Alma”. Thulio já acompanhou e concorreu em diversas edições do Festival, sendo premiado em muitas. Hoje em dia o compositor está vivendo um hiato na sua carreira musical, mas pretende voltar aos palcos em breve

1. Olá Túlio, agradecemos a sua disponibilidade em vir conversar conosco. Para início de conversa conte-nos como seu envolvimento com a música começou, o Festival tem alguma relação com isso?

Meu envolvimento com a música começou na infância na época fazia parte de um coral infantil em uma igreja evangélica onde aprendi os conceitos básicos sobre tonalidades, violão e teclado, já na adolescência participei da formação de algumas bandas de rock da cidade primeiro com a banda Perímetro Urbano, algumas outras bandas experimentais com o Rogério Martino, depois com destaque para o Porão 71 e finalmente com o Fator Alma, nessa época foi quando comecei a escrever algumas composições e a participar dos festivais de Alvinópolis que acredito ter sido um grande incentivador para que o desenvolvimento de algumas composições. Após alguns anos participando, com o Fator Alma, comecei a me aventurar com composições no estilo MPB agregando as apresentações juntamente com o apoio de outros grandes músicos da cidade.

Banda “Fator Alma”

2. Como você avalia a importância de um evento como o Festival para a cidade de Alvinópolis?

O Festival é um evento onde a sociedade tem a oportunidade de desenvolver e apreciar uma variedade de manifestações culturais através da musica e é nesse ponto que esta a grande importância do evento para cidade, sabemos que a arte musical possui um grande valor transformador, através da sua apreciação conseguimos desenvolver sensibilidades e valores sociais que podem nos tornar seres humanos progressivamente melhores, além disso, o desenvolvimento do talento musical pode trazer uma nova expectativa de vida para pessoas em uma sociedade carente que sem a oportunidade de contato com a arte poderiam tomar caminhos contrários aos benéficos para si e para sociedade.

34º Festival da Canção de Alvinópolis, com a canção “Feliz Idade”

3. Você já se destacou diversas vezes como compositor no Festival, sobre seu processo criativo, fale mais como ele é? Como é compor pra você? Como surgem as ideias, de onde elas vem e geralmente para onde vão? O Festival tem alguma influência no seu modo de compor?

 

As composições nascem através da transformação da reflexão sobre a percepção que temos sobre variadas situações do cotidiano do ser humano, às vezes são feitas para nos mesmos apenas pra traduzir um sentimento, às vezes pelo desafio pessoal de criar uma boa musica, às vezes para mostrar satisfação ou indignação com alguma situação, e às vezes apenas pelo prazer da poesia ou da melodia, não existe uma matemática, acredito que o festival se enquadre na parte onde cito o desafio de criar boas musicas e quando este desafio acontece em um momento em que se tem a inspiração através do sentimento, satisfação ou indignação com alguma situação, poesia ou melodia, nesse momento pode nascer uma bela canção.

 4. Embora seja uma cidade de interior e com ares ruralistas Alvinópolis possui muitas bandas de rock espalhadas por ai, a banda na qual você toca – Fator Alma, é prova disso. A que você atribui esse gosto dos Alvinopolenses pelo Rock? Na esteira dessa pergunta como foi trabalhar com outros estilos de música, mais distantes do Rock N’ Roll, como a música regional por exemplo, que história é essa de “Poeta do Interior?

 

Acredito que há muito tempo Alvinópolis tem uma grande vocação musical com bandas de vários estilos, essa vocação para o rock também vem de muito tempo, pelo pouco que sei a sociedade alvinopolense, apesar de estar em uma cidade pequena, há muito tempo já reproduzia as novidades dos grandes centros, já tivemos teatro, cinema, rota aérea, etc. Acredito que se tratando de Rock, essa vocação venha desde Os Morcegos, que temos o prazer de apreciar algumas apresentações até hoje, acho que o gosto pelo Rock é passado de geração em geração, a juventude dos anos oitenta e noventa vieram com o rock no DNA e alinhado ao panorama nacional e internacional com o rock ditando o ritmo da música, surgiram às bandas de Rock Alvinopolenses nos anos noventa e inicio dos anos dois mil que influenciaram muito da juventude atual que vem chegando com muita qualidade.

Minha adolescência foi bem rock n roll, o problema de ser extremamente adepto a uma ideologia é que te faz fechar os olhos para outras coisas boas que poderiam lhe agregar muito valor, mas com o tempo a gente aprende e acho que o festival me mostrou isso quando comecei a apreciar as canções participantes e suas influencias, com isso naturamente foi crescendo a vontade de me aventurar em outros estilos e assim tive possibilidade de escrever sobre situações diferentes do que escrevo quando faço rock, com isso surgiram canções como Distante do verde da terra, O choro de Apoena, Poeta do Interior, Nossa feliz idade, etc.

35º Festival da Canção de Alvinópolis

5. Existe algum fato vivido por você em alguma edição do Festival que tenha sido especial ou que tenha ficado na lembrança? Compartilha com a gente.

 

A premiação da música Distante do Verde da Terra é uma lembrança bem marcante pelo conjunto muito alinhado que conseguimos montar na época, com três vocais, com participação do Luis Ângelo, Maycon, Junei, Emiliano, Marlon, Thiago Santos. Também foi bem marcante as duas premiações no mesmo festival que conseguimos com o Fator Alma apresentando a música O Príncipe no Poder em um Festival organizado pelo Ronilson (Bada) no Nicks Bar.

Mas acho que o momento mais marcante  tenha sido a primeira apresentação que fiz de uma canção fora do estilo Rock com a musica Simples Demais junto com o Marcus, guitarrista do Fator Alma, era uma grande novidade pra nos dois, na época não ganhamos premio mais chegamos a classificar para o ultimo dia de apresentações e foi uma experiência fantástica.

6. Para finalizar, atualmente quais são seus planos com a música, podemos esperar por uma composição inédita no “36º Festival da Canção de Alvinópolis?”.

 

No momento tenho desenvolvido poucas coisas e apreciando muitas novidades que vem surgindo nos últimos tempos, tenho planos que visam organizar melhor as rotinas de trabalho, que tem sido bem puxada ultimamente, para que no ano que vem possa retomar alguns projetos e desenvolver outros que tenho em mente, pode ser que no próximo tenhamos alguma novidade.

Parabéns pela organização desta edição e espero que o festival seja excelente para todos, estou com uma ótima expectativa, abraço!

Fim da Entrevista

O Festival está acontecendo! Confira a programação do primeiro dia: no link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *